História do Pilates - Alexandre Ohl Pilates, Academia de Pilates, Estudio de Pilates, Curso de Pilates, Formação em Pilates, Pilates na Gestação, Vila Nova Conceição , Itaim Bibi, Vila Olimpia

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Alexandre Ohl
História do PIlates:

1885
Em meio a uma infância pobre e uma saúde frágil, Joseph Pilates lutou contra inúmeras doenças: asma, febre reumática, bronquite e raquitismo. Seu pai, Joseph, foi ginasta, vencedor de prêmios, e a mãe naturopata – medicina complementar e alternativa que enfatiza a habilidade inata do corpo para a auto-cura; os naturopatas preferem usar remédios naturais como ervas e alimentos em vez de cirurgia ou drogas sintéticas.

1895
Na adolescência, Joe limpava o jardim de um vizinho que possuía uma biblioteca, em troca de desfrutar dela. Nesta época, ganhou de uma família de médicos, um atlas de anatomia. Acredita-se que este fato e o modo de vida de seus pais tenham colaborado para o aumento do seu interesse neste tema e influenciado suas escolhas. Joe então decide dedicar sua vida ao estudo e à prática de exercícios físicos, a fim de obter um corpo forte e saudável.

1895/1912
Joseph tornou-se autodidata e aprofundou seus conhecimentos em anatomia, física, biologia, fisiologia e medicina tradicional chinesa. Neste período, em função de sua prática esportiva (greco-romanos, yoga, boxe, esqui e mergulho), Joseph Pilates possuía um corpo tão desenvolvido que chegou a posar para um atlas de anatomia. Joseph teve também bom desempenho como ginasta e pugilista.

1912
Joseph Pilates, aos 32 anos, migra para Inglaterra (Londres) onde, além de lutar boxe e trabalhar num circo, começa a ensinar autodefesa aos detetives da Scotland Yard (Metropolitan Police Service).

1914
Joe e seu irmão estavam em uma turnê por Londres com a companhia de circo quando eclodiu a Primeira Guerra Mundial (1914). Ambos foram reclusos no campo de concentração de Lancaster, por serem considerados inimigos estrangeiros. Neste local, Joe incentivou seus companheiros presos a praticarem sua rotina de exercícios de solo e percebeu que todos tiveram bons resultados.

1916 /1917
Joseph Pilates é transferido para a Ilha de Mann para trabalhar como enfermeiro em um Hospital. Percebendo a debilidade de muitos dos pacientes deste hospital, teve a idéia de utilizar uma das camas como meio à prática de exercícios. Usou as camas hospitalares e outros artefatos (cintos, lastros e molas) para fortalecer enfermos que ainda permaneciam deitados nas camas. Assim iniciou o desenvolvimento dos primeiros protótipos dos aparelhos hoje conhecidos.

1918
Com a ocorrência de uma epidemia de gripe espanhola (vírus Influenza), milhares de pessoas morrem. Entretanto, as pessoas que receberam os cuidados de Joseph no hospital não foram contaminadas. Anos depois, Pilates atribuiu a sobrevivência dos prisioneiros à execução dos exercícios, beneficiando sua saúde, embora não existissem comprovações científicas na época.

1919
Com o fim da guerra, Joseph Pilates retorna para a Alemanha, a princípio para trabalhar com a Polícia Militar de Hamburgo e, posteriormente, para rodar por toda Alemanha com seu equipamento, recém desenvolvido, exercitando reumáticos. Foi neste período que Joe conhece Rudolf Von Laban, considerado o maior teórico da dança do século XX e o "pai da dança-teatro". Rudolf foi um famoso analista do movimento que diz ter incorporado algumas das teorias e exercícios de Pilates em seu trabalho.
1925
Neste ano, Pilates foi convidado para treinar o novo Exército Alemão, mas, por não concordar com a direção política da Alemanha na época, decidiu recusar a proposta. Joseph Pilates começa a assistir a expansão da sua técnica, na medida em que recorrem a ele alguns atletas, como o campeão de boxe dos pesos pesados (entre 1930 e 1932), Max Schmeling. Neste período, Joe resolve sair do país e migra para os Estados Unidos.

1926
Aos 46 anos, Joseph Pilates acompanha Max Schmeling a Nova York, com a promessa do representante do boxeador de financiar uma academia naquela cidade. Nesta viagem de navio, ele conhece a enfermeira Clara, sua futura esposa. Clara era uma ex-professora de jardim de infância que sofria de artrite. Após ser tratada por Pilates, Clara se livrou de suas dores.

1930
Clara e Joseph Pilates abrem o primeiro Estúdio na 8ª Avenida, conhecido como "Joseph Pilates Studio for Controlology”, no mesmo prédio do New York City Ballet e rapidamente atrai a atenção de pessoas influentes na cidade, como Ruth St. Denis, Ted Shawn, Martha Graham (professora, bailarina e coreógrafa pioneira da dança moderna) e George Balanchine (fundador da School of American Ballet e diretor da Companhia que viria a ser o New York City Ballet, como é conhecido atualmente), Hanya Holm (uma das fundadoras da dança moderna americana, bailarina, professora e coreógrafa), Jerome Robbins (premiado diretor de cinema e coreógrafo) assim como o ator José Ferrer e o romancista Christopher Isherwood.
1934
Pilates publica seu primeiro livro com o editor Judd Robbins, Your Health: A Corrective System of Exercising That Revolutionizes the Entire Field of Physical Education”.

1940
Na década de 40, Joseph tinha atingido grande notoriedade no mundo da dança, embora haja poucas informações sobre o início do primeiro estúdio para a prática de Pilates. Diz a revista Dance de Fevereiro de 1956: “Mais tarde ou mais cedo, virtualmente, todos os bailarinos de Nova Iorque, e seguramente todos aqueles que tinham estudado no Jacob’s Pillow entre 1935 e 1951, tinham-se calmamente submetido à instrução entusiasta de Joe Pilates”.

1942
Mary Pilates, sobrinha de Joseph Pilates, começa a trabalhar no estúdio com seu tio e segue exatamente a metodologia que seu tio a ensinou.

1945
Joseph Pilates lança seu livro junto com o amigo William John Miller, intitulado: "Return to Life Through Contrology.

1960
No início dos anos sessenta, o estúdio de Pilates contava entre seus clientes com muitos bailarinos de Nova York. Jorge Balanchine treinava “no Joe’s”, como ele chamava, e convidou Pilates a ensinar as suas jovens bailarinas no New York City Ballet. Joseph Pilates começava a ser popular também fora de Nova York, segundo o New York Herald Tribune em 1964: “Em aulas de dança pelos Estados Unidos, centenas de jovens treinam diariamente um exercício que conhecem como sendo Pilates, sem saber que a palavra tem letra maiúscula e corresponde ao nome próprio de uma pessoa real e viva".

1966
Neste ano, o estúdio de Joe sofre um incêndio. Ele volta para tentar salvar algo possível, mas, durante este esforço ele sofre lesões e tem que ser resgatado pelos bombeiros. Especula-se que este incidente teve relação direta com sua morte no ano seguinte.o, constantemente, ciência e tecnologia.
1967
Joseph Pilates morre em outubro de 1967 com a idade de 87 anos. Há duas versões para o falecimento de Joseph Pilates. A primeira afirma que ele morreu de enfisema pulmonar, pois, embora considerado um guru da saúde, Joe era apaixonado por charutos e whisky. Já a segunda versão diz que Joseph Pilates faleceu em conseqüência do incêndio em seu estúdio, pois, na tentativa de salvar seus equipamentos inalou uma quantidade excessiva de gases tóxicos.

Quando Joseph Pilates morreu em 1967, o seu método era praticamente desconhecido fora do grupo restrito constituído por dançarinos, atores, e clientes ricos que tinham treinado no seu estúdio. Joe acreditou fervorosamente no seu trabalho e quis que cada escola e ginásio o ensinassem. Sonhou com o dia em que "Pilates" se transformasse em uma palavra comum. "Eu estou cinquenta anos antes do meu tempo", disse uma vez. Estava certo. Hoje, só nos EUA, mais de cinco milhões de americanos praticam Pilates e os números crescem exponencialmente. Agora, com o nome Pilates livre das limitações aplicáveis a uma marca registrada, o sonho de Joseph Pilates pode ainda transformar-se numa realidade.
Quando Joe faleceu, não deixou testamento nem designou um sucessor para continuar o trabalho de “Pilates”. No entanto, o seu trabalho iria continuar. Clara  seguiu operando aquilo que era chamado como o Pilates Institute, na 8ª Avenida em Nova Iorque, de que Romana Kryzanowska se tornou a diretora por volta de 1970. Kryzanowska tinha estudado com Joe e Clara no início dos anos 40 e, depois de um intervalo de 15 anos devido a uma mudança para o Peru, retomou os seus estudos.
A partir da morte de Clara em 1977, dez anos depois da morte de Joseph, estudiosos de Pilates abriram seus próprios Estúdios. Alguns se mantiveram fiéis a forma original ortodoxa, como Romana Kryzanowska, outros acrescentaram seus conhecimentos aos princípios que receberam e criaram sua própria linha de trabalho, como Carolla Trier, Ron Fletcher, Kathy Stanford Grandt, Eve Gentry e Bruce King.
Ron Fletcher era um bailarino de Martha Graham, que estudou e se aconselhou com Joe a partir de 1940 e abriu um estúdio em Los Angeles em 1970, onde atraiu muitas estrelas de Hollywood. Acredita-se que tenha sido o grande responsável pela divulgação da técnica pelo mundo. Clara gostava particularmente do trabalho de Ron, e deu-lhe a sua benção para continuar o trabalho e o nome de “Pilates”.

Como Carola Trier, Fletcher trouxe inovações e progressões ao trabalho de “Pilates”. As suas evoluções variantes de “Pilates” foram inspiradas pelos seus anos de bailarino. Ele mantém ainda hoje Workshops e programas de formação e certificação em Pilates, possui um Estúdio em Bervely Hills.
Kathy Grant e Lolita San Miguel também foram alunas de Joe e Clara que se tornaram instrutoras. Grant assumiu a direção do Bendel’s Studio em 1972, enquanto San Miguel foi ensinar Pilates no Ballet Concierto
de Puerto Rico in San Juan, Puerto Rico. EM 1967, mesmo antes da morte de Joe, foram atribuídos diplomas pelo State University of New York a Grant e San Miguel para ensinar “Pilates”. Pensa-se que estas são as únicas praticantes a terem sido certificadas oficialmente por Joe.

Entre os alunos que formam a Primeira Classe de Professores do Método Pilates, Mary Bowen, Ron Fletcher, e Kathy Grant formaram a Pilates Method Alliance, uma associação internacional sem fins lucrativos para os profissionais do Método Pilates. Foram professores de segunda geração Barbara Huttner, Steve Giordano, Jillian Hessel, Fran Lehen, Deborah Lessen, Michele Larsson, Maru Kasakove  e  Brent Anderson.

O Pilates desenvolveu-se até os dias atuais adicionando-se à técnica inúmeros estudos nas áreas de biomecânica, fisiologia e bioenegética  que influenciam na estruturação das aulas hoje em dia ministradas, agregando ao método, constantemente, ciência e tecnologia.
Como Carola Trier, Fletcher trouxe inovações e progressões ao trabalho de “Pilates”. As suas evoluções variantes de “Pilates” foram inspiradas pelos seus anos de bailarino. Ele mantém ainda hoje Workshops e programas de formação e certificação em Pilates, possui um Estúdio em Bervely Hills.
Kathy Grant e Lolita San Miguel também foram alunas de Joe e Clara que se tornaram instrutoras. Grant assumiu a direção do Bendel’s Studio em 1972, enquanto San Miguel foi ensinar Pilates no Ballet Concierto
de Puerto Rico in San Juan, Puerto Rico. EM 1967, mesmo antes da morte de Joe, foram atribuídos diplomas pelo State University of New York a Grant e San Miguel para ensinar “Pilates”. Pensa-se que estas são as únicas praticantes a terem sido certificadas oficialmente por Joe.

Entre os alunos que formam a Primeira Classe de Professores do Método Pilates, Mary Bowen, Ron Fletcher, e Kathy Grant formaram a Pilates Method Alliance, uma associação internacional sem fins lucrativos para os profissionais do Método Pilates. Foram professores de segunda geração Barbara Huttner, Steve Giordano, Jillian Hessel, Fran Lehen, Deborah Lessen, Michele Larsson, Maru Kasakove  e  Brent Anderson.

O Pilates desenvolveu-se até os dias atuais adicionando-se à técnica inúmeros estudos nas áreas de biomecânica, fisiologia e bioenegética  que influenciam na estruturação das aulas hoje em dia ministradas, agregando ao método, constantemente, ciência e tecnologia.

 
© Alexandre Ohl Pilates - Todos os direitos reservados.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal